Suhaib Salem/Reuters
Suhaib Salem/Reuters

Líbios encontram vala com mais de 1.200 corpos

Restos mortais seriam de vítimas de massacre ocorrido em 1996 por forças pró-Kadafi, segundo autoridades revolucionárias

25 Setembro 2011 | 12h25

TRÍPOLI - Autoridades revolucionárias da Líbia disseram ter encontrado uma vala comum com os restos de 1.270 presos mortos pelo regime de Muamar Kadafi em um massacre em 1996. O local fica próximo à prisão de Abu Salim, em Trípoli, onde as vítimas foram mortas em 26 de junho de 1996 depois de protestarem contra as condições no local.

O anúncio foi feito no domingo pelo médico Ibrahim Abu Sahima, do comitê do governo que supervisiona a busca pelas vítimas do antigo regime. Ele explicou que investigadores encontraram a vala há duas semanas, depois de receberem informações de autoridades do regi me capturadas e de testemunhas. Autoridades vão pedir ajuda internacional para identificar os restos mortais.

"Estou feliz por essa revolução, nosso país será melhor", diz Sami al-Saadi, de 45 anos, que acredita que dois de seus irmãos morreram no massacre. "Mas quando eu fico aqui, me lembro que meus irmãos foram mortos."

Autoridades afimaram que os restos mortais eram espalhados por um terreno de mil metros quadrados e parte deles depois foi enterrado em 2000. "Estamos falando de mais de 1270 mártires. Eles devem ser identitifcados a partir de exames de DNA com seus familiares. Pode levar anos para chegarmos à verdade", afirma Osman Abdul Jali, médico oficial. / Com Associated Press e Reuters

Mais conteúdo sobre:
Líbia Kadafi massacre vala corpos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.