Líbios protestam contra extensão do governo de transição

Centenas de líbios tomaram as ruas da capital Trípoli e de outras cidades do país neste sábado para protestar contra a renovação do mandato do atual governo do país, o Congresso Nacional Geral (GNC, na sigla em inglês), no próximo ano. O GNC é fruto das primeiras eleições livres do país em julho de 2012 , após a derrubada do regime do ditador Muamar Kadafi em outubro de 2011 .

Agência Estado

09 de novembro de 2013 | 19h36

Em sua eleição, o GNC conquistou um mandato de 18 meses para elaborar uma nova constituição e guiar a Líbia para as eleições gerais. Mas a tensão política e a insegurança lançaram dúvidas sobre a capacidade do país completar o processo de transição antes do término do mandato, em fevereiro de 2014.

Um porta-voz do GNC sugeriu recentemente que pode prorrogar o prazo para completar sua tarefa, o que provocou preocupação entre a população. Os manifestantes se reuniram na Praça dos Mártires, na região central de Trípoli, com cartazes contrários à prorrogação do governo provisório.

Os protestos de hoje foram organizados por um grupo de jovens da cidade oriental de Benghazi - berço da revolta de 2011 - que criou uma página no Facebook para conseguir apoio, atraindo mais de 8.000 apoiadores.

O grupo que se autodenomina o "Movimento de 9 de novembro" diz que as disputas de poder dentro do GNC estão impedindo a assembleia de realizar a transição e estão apelando para os partidos independentes serem eleitos para o corpo. Os opositores de qualquer tentativa de prolongar o mandato do governo de transição dizem que uma extensão poderia empurrar a Líbia para um nova onda turbulência, principalmente se os ex-rebeldes tentarem tomar o poder pela força. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Líbiaprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.