Líder árabe pede julgamento justo para Bin Laden

Osama bin Laden, o dissidente saudita suspeito de estar por trás dos atentados terroristas de 11 de setembro nos EUA, tem de receber um julgamento justo caso seja capturado pelas forças aliadas, disse hoje o secretário-geral da Liga Árabe. Amr Moussa também pediu o fim dos bombardeios liderados pelos EUA no Afeganistão "o mais rápido possível". "Essa campanha tem de terminar o mais rápido possível para que o povo afegão seja poupado de mais rigores nessas circunstâncias", disse ele num encontro com jornalistas em Londres.Uma vez que Bin Laden seja capturado, afirmou, "ele deve ter um julgamento justo". Moussa não entrou em detalhes. O secretário-geral disse que o perfil de qualquer governo pós-Taleban tem de ser decidido pelo povo do Afeganistão, e não imposto por outros. Perguntado sobre os ataques aéreos no Afeganistão, ele replicou: "Entendemos a situação grave da América" depois dos atentados que mataram milhares de pessoas. Voltando-se ao conflito israelense-palestino, Moussa afirmou que árabes e muçulmanos estão revoltados pelo "aparente alinhamento da América com Israel". "O povo árabe não pode apoiar qualquer política de destruição e assassinato de pessoas inocentes. Isso é apenas normal", considerou.Moussa disse que o povo árabe "não será enganado pela retomada do processo de paz. Um processo só para dizer que existe um processo não levará a lugar nenhum. "Todas as propostas para uma solução justa estão aí. Não deveria levar muito tempo", afirmou. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.