AFP PHOTO / Josep LAGO
AFP PHOTO / Josep LAGO

Líder catalão desiste de reunião com Parlamento espanhol

Governo autônomo de Carles Puigdemont deve ser dissolvido, com a convocação de eleições regionais em um prazo máximo de seis meses e a tomada de controle da polícia catalã

O Estado de S.Paulo

25 Outubro 2017 | 13h36

BARCELONA, ESPANHA - O presidente catalão, Carles Puigdemont, não irá ao Senado espanhol apresentar suas alegações antes de que a Câmara alta aprove na sexta-feira a tomada de controle desta região autônoma, solicitada pelo governo espanhol, explicou uma porta-voz do governo catalão.

Intervir na autonomia catalã é a única resposta possível, diz premiê espanhol

"Não irá nem na quinta, nem na sexta-feira", os dois dias que o Senado teria oferecido ao líder regional para comparecer, informou a fonte à AFP. "o motivo é que o governo espanhol já anunciou que impulsionará igualmente o artigo 155" da Constituição para intervir na autonomia catalã, disse outro porta-voz.

Com a invocação do artigo 155, o governo de Puigdemont deve ser dissolvido, com a convocação de eleições regionais em um prazo máximo de seis meses e a tomada de controle da polícia catalã.

O governo autônomo catalão ainda tem dúvidas sobre como proceder às ameaças de Madri.  Uma facção dos nacionalistas querem Puigdemont convoque logo eleições antes da invocação do artigo. Outros querem avançar com a declaração de independência unilateral. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.