AFP
AFP

Líder catalão diz que região ganhou direito de se tornar independente

Polícia espanhola tentou impedir o plebiscito deste domingo sobre a independência da Catalunha, fazendo uso da força em algumas ocasiões

O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2017 | 19h00

BARCELONA - O presidente regional da Catalunha, Carles Puigdemont, disse que a região "ganhou o direito de se tornar um Estado independente" após a votação realizada neste domingo, 1.º. Em um discurso televisionado após o fechamento dos locais de votação, ele afirmou que "hoje o Estado espanhol escreveu outra página vergonhosa em sua história com a Catalunha".

+ Plebiscito sobre independência catalã põe em xeque estabilidade da Espanha

A polícia espanhola tentou impedir o plebiscito deste domingo sobre a independência da Catalunha, fazendo uso da força em algumas ocasiões. De acordo com as autoridades catalãs, ao menos 800 pessoas ficaram feridos durante os confrontos. O plebiscito deste domingo foi considerado ilegal pelo governo central de Madri, além de ter sido proibido pelo Tribunal Constitucional da Espanha.

Em seu discurso, Puigdemont disse que irá "fazer um apelo direto à União Europeia" para examinar as supostas violações dos direitos humanos pelo governo espanhol neste domingo.

+ Mario Vargas Llosa: A hora zero catalã

O ministro das Relações Exteriores do país, Alfonso Dastis, afirmou que a violência vista foi "infeliz e desagradável", mas ponderou ao dizer que houve uso proporcional da força, e não uma violência excessiva. "Foi uma reação à situação que os policiais enfrentaram quando foram impedidos de trabalhar", comentou. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.