Líder colombiano visita local de ação que matou líder das Farc

Para Juan Manuel Santos, morte marcou o início do fim do grupo guerrilheiro.

BBC Brasil, BBC

27 de setembro de 2010 | 14h51

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, visitou neste domingo a região onde teria morrido, na semana passada, um dos principais líderes das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e disse que a morte foi o "início do fim" do grupo guerrilheiro.

Jorge Briceño, também conhecido como Mono Jojoy, era considerado o chefe militar do grupo guerrilheiro e foi declarado morto na quinta-feira, após um bombardeio a um acampamento das Farc.

Santos elogiou a atuação dos militares em seu discurso, feito na região onde Jojoy teria sido morto.

"Acho que se pode dizer com grande margem de segurança que esse foi o início do fim das Farc", disse.

O governo colombiano afirmou que pelo menos 20 rebeldes morreram na operação, que envolveu pelo menos 30 aviões e 27 helicópteros.

A incursão terminou com um assalto por terra e um intenso tiroteio.

Briceño era considerado um dos mais carismáticos líderes das Farc.

Ele tinha 57 anos e teria passado os últimos meses em vários acampamentos na floresta.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.