Líder curdo é assassinado no norte do Iraque

Militantes islâmicos mataram com armas automáticas um líder curdo e cinco outros nonoroeste do Iraque, informou hoje um membro de seu partido. Dez outras pessoas ficaram feridas. O ataque ocorrido na noite de sábado foi atribuído ao grupo extremista Ansar al-Islam, que tem vínculos com a rede Al-Qaeda e foi classificado pelo secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, como uma organização terrorista.A vítima mais proeminente foi o general Shawkat Haji Mushir, da União Patriótica do Curdistão, o partido que controla parte da região curda no norte do Iraque, afirmou o xeque Jaffar Mustafa, um comandante militar local. Os atacantes também mataram dois seguranças e três civis, incluindo uma criança.Mushir, um membro fundador do partido, desempenhourecentemente o papel de intermediário com o Ansar. Ele esperava encontrar-se com um desertor do Ansar na vila de Gamesh Tapa, 70 km a leste da cidade vizinha de Sulaymaniyah, quando ocorreu oataque. Centenas de partidários compareceram ao funeral de Mushir numa mesquita em Sulaymaniyah e acompanharam o enterro numa colina da cidade."A multidão aqui foi muito pequena porque a maioria das pessoas não soube que isso aconteceu na noite passada", explicou Mustafa. "Se o enterrassemos amanhã, teríamos dezenas de milhares de pessoas - mesmo pessoas de Bagdá porque ele era muito importante".Extremistas muçulmanos do Ansar al-Islam se opõem ao governo secular do partido, que trava uma luta há dois anos para expulsar o grupo de seu bastião nas montanhas no extremo oriental da zona autônoma curda. Líderes do Ansar admitem que alguns de seus membros treinaram com o grupo de Osama bin Laden no Afeganistão, mas afirmam nãoestar sob controle da Al-Qaeda. A região, protegida por aviões anglo-americanos patrulhando uma zona de exclusão aérea estabelecida após a Guerra do Golfo de 1991, está fora do controle do líder iraquiano Saddam Hussein.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.