Líder da Al-Qaeda diz que está lutando no Iraque

Abu Musab al-Zarqawi, um dos principais líderes da organização terrorista Al-Qaeda, divulgou uma declaração por meio de um site islâmico na internet afirmando que está no Iraque, liderando o combate contra as forças de ocupação. "Estou agora no Iraque, travando uma guerra santa junto com meus irmãos, com o objetivo de estabelecer uma nação para o Islã e um Estado para o Corão", diz a mensagem, citada pela MSNBC. O governo dos EUA suspeita que Al-Zarqawi seja um dos terroristas que participaram do assassinato do civil americano Nicholas Berg, decapitado diante de uma câmera de vídeo no início de maio em algum lugar no Iraque; ele seria o terrorista encapuzado que leu a declaração da Al-Qaida dizendo que Berg estava sendo executado como vingança pelas torturas sofridas por iraquianos na prisão de Abu Ghraib. Segundo a emissora de televisão ABC News, o Escritório de Contraterrorismo do Departamento de Estado dos EUA estuda a possibilidade de elevar a oferta de recompensa pela captura de Al-Zarqawi dos atuais US$ 10 milhões para US$ 25 milhões - mesma quantia oferecida pela captura de Osama bin Laden, o líder máximo da Al-Qaeda. Mas há dúvidas sobre se o aumento da recompensa oferecida conduzirá à captura de Al-Zarqawi; afinal, os EUA se recusaram a pagar a recompensa que haviam oferecido por informações que levassem à captura do ex-presidente iraquiano Saddam Hussein; a alegação para o não-pagamento foi a de que o iraquiano que denunciou Saddam não o fez voluntariamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.