Líder da Al-Qaeda diz que grupo chegou à Índia

Pelo menos três Estados indianos com grandes populações muçulmanas foram colocados em alerta após a divulgação do vídeo

Estadão Conteúdo

04 de setembro de 2014 | 11h01

A Al-Qaeda se expandiu até a Índia afirmou o líder do grupo terrorista, Ayman al-Zawahri, em vídeo divulgado nesta terça-feira, prometendo que seus militantes levarão a lei islâmica para todo o subcontinente e "promover a jihad contra seus inimigos".

Pelo menos três Estados indianos com grandes populações muçulmanas foram colocados em alerta após a divulgação do vídeo, informaram emissoras locais de televisão, embora não houvesse indicação de aumento da presença das forças de segurança.

O novo grupo "é o fruto de um esforço abençoado de mais de dois anos para reunir os mujahedin no subcontinente indiano num única entidade", declarou Al-Zawahri em vídeo, que foi visto pelo grupo de monitoramento SITE.

Embora suas declarações tenham preocupado a Índia, a mensagem de Al-Zawahri parece ter como alvo seus próprios rivais no movimento internacional da jihad, além de elevar o status da Al-Qaeda, após os repetidos sucesso do grupo Estado Islâmico.

A Al-Qaeda vem sendo cada vez mais ofuscada pelo Estado Islâmico, cujos combatentes capturaram grandes partes dos territórios sírio e iraquiano e recentemente decapitou dois jornalistas norte-americanos.

A Al-Qaeda "está lutando por sua legitimidade aos olhos do radicalizado mundo muçulmano", disse Ajai Sahni, importante analista de segurança do Instituto para Gestão de Conflito, em Nova Délhi.

"Osama bin Laden e toda a liderança (da Al-Qaeda) foram mortos, a não ser Al-Zawahiri e alguns outros. Um por um eles têm sido dizimados pelos ataques com drones norte-americanos", disse ele.

Embora a declaração de Al-Zawahri faça referência ao "subcontinente indiano", termo que geralmente se refere à Índia, Bangladesh, Paquistão e Nepal, seus comentários foram vistos como dirigidos à Índia, país de maioria hindu com uma grande minoria muçulmana.

Al-Zawahri disse que o grupo, o Qaedat al-Jihad, vai lutar por um Estado e leis islâmicas em toda a região, "que era parte dos territórios muçulmanos antes de serem ocupados pelo inimigo infiel".

O líder do novo grupo, Essam Omar, disse em gravação de áudio divulgada com o vídeo, que judeus e hindus - a quem se referiu como "apóstatas da Índia" - "assistirão sua destruição com seus próprios olhos".

Os combatentes irão "invadir suas barricadas com carros lotados de pólvora", disse Omar, condenando o que chamou de "injustiça contra os muçulmanos" praticada na região. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ÍndiaAl-QaedaAl-Zawahiri

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.