Líder da Al-Qaeda na Grã-Bretanha aguarda sentença

Um dos líderes da Al-Qaeda capturado na Grã-Bretanha compareceu nesta segunda-feira, 6, diante de um juiz para ser condenado pelo planejamento de ataques contra a bolsa de valores de Nova York, a sede do Fundo Monetário Internacional em Washington e vários alvos em Londres há seis anos. Segundo o promotor Edmund Lawson, Dhiren Barot, de 34 anos, planejava matar "centenas ou milhares de inocentes em atentados na Grã-Bretanha e Estados Unidos". Para isso, seu plano previa a utilização de três limusines carregadas com cilindros de gás. Os veículos seriam detonados em garagens subterrâneas de Londres, Nova York e Washington. Rodeados por policiais, Barot sentou-se nesta segunda dentro de uma jaula de vidro à prova de balas em um tribunal de Londres. No mês passado, declarou-se culpado por conspirar para cometer assassinato em massa. Ele pode ser condenado à pena de prisão de perpétua. Barot nasceu sob a crença hindu na Índia, mas chegou à Grã-Bretanha quando era adolescente. Aos 20 anos, converteu-se ao Islã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.