Líder da Al-Qaeda no Iêmen pede novos ataques

O número 2 da Al-Qaeda no Iêmen pediu a realização de novos ataques na Arábia Saudita contra interesses norte-americanos na região, numa nova mensagem de áudio colocada hoje na internet. O comunicado, feito aparentemente por Said al-Shihri, pede aos seguidores que "ataquem os interesses dos Estados Unidos, dos cruzados e de seus agentes, especialmente os líderes do governo saudita" que ele afirma travam uma guerra contra os muçulmanos em nome dos Estados Unidos.

AE-AP, Agencia Estado

08 de fevereiro de 2010 | 20h18

O ministério do Interior desconsiderou a ameaça, dizendo que ela reflete "o crescente isolamento e desespero" da parte do grupo ligado à Al-Qaeda. A mensagem de áudio é a primeira de al-Shihri desde o ataque de 24 de dezembro, realizado por forças iemenitas, que tiveram como alvo o próprio al-Shihri e outros integrantes da Al-Qaeda no embobrecido país da Península Arábica. Na mensagem de 12 minutos, al-Shihri procura assegurar à liderança da Al-Qaeda que os chefes iemenitas não foram feridos.

Ele também congratula o nigeriano Umar Farouk Abdulmutallab por sua "abençoada" tentativa de explodir um avião que pousou em Detroit no dia de Natal. A autenticidade do comunicado não pôde ser independentemente confirmada, mas a mensagem foi postada num site geralmente usado para a distribuição de mensagens de militantes.

O braço da Al-Qaeda no Iêmen tornou-se uma preocupação para os Estados Unidos depois que Abdulmutallab, que passou algumas semanas no país antes de seu fracassado ataque, disse aos investigadores do FBI que o grupo forneceu a ele treinamento e explosivos.

Tudo o que sabemos sobre:
IêmenAl-QaedalíderataquesEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.