Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Líder da Al-Qaeda no Iraque é morto em ataque americano

O líder da Al-Qaeda no Iraque, Abu Musab al-Zarqawi, morreu em um ataque aéreo americano, em cooperação com a polícia iraquiana, contra uma pequena aldeia da conflituosa província de Diyala, ao nordeste de Bagdá, informou nesta quinta-feira o chefe das tropas dos Estados Unidos.O terrorista jordaniano pôde ser identificado graças a suas impressões digitais, segundo o comandante-em-chefe das tropas americanas no Iraque, George Casey."O ataque aéreo certeiro foi realizado às 18h15 (11h15 de quarta-feira em Brasília) contra seu esconderijo de Hibib, onde se abrigava com vários de seus ajudantes", disse Casey em entrevista coletiva.Hibib é uma aldeia situada cerca de 30 quilômetros ao noroeste de Baquba, capital de Diyala, uma província considerada reduto da insurgência sunita que luta contra a ocupação americana e contra as autoridades iraquianas, as quais consideram "colaboracionistas".Al-Zarqawi foi responsabilizado, entre outras coisas, pela decapitação do refém britânico Ken Bigley, seqüestrado no Iraque em 2004 e cujo corpo ainda não foi recuperado.O irmão da vítima, Stan Bigley, mostrou sua satisfação pelo terrorista "ter sido eliminado da face da Terra, não só por Ken, mas por toda as pessoas que ele assassinou".Por sua parte, testemunhas citadas pela televisão iraquiana na mesma aldeia disseram que "a operação durou várias horas e produziu um estado de anarquia na área onde aconteceu o ataque".O general Casey não especificou quantas aeronaves participaram do bombardeio da aldeia, mas disse que há pelo menos outros sete mortos, supostos ajudantes de Zarqawi.Líderes mundiais comemoramO primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, qualificou nesta quinta a morte de al-Zarqawi, de "notícia muito boa" e afirmou que isso marca um momento importante para o Iraque.Em reunião com seu governo, Blair afirmou que a morte de al-Zarqawi é "um golpe" contra a organização terrorista Al-Qaeda e parabenizou as tropas americanas, britânicas e iraquianas, assim como o resto da coalizão, "pelo grande trabalho que estão fazendo no Iraque para apoiar o novo governo recém-eleito democraticamente".O porta-voz da Otan, James Apputhurai, afirmou que a Otan "não sentirá falta" de al-Zarqawi. A morte do terrorista foi anunciada durante uma reunião da organização e Apputhurai disse em uma entrevista coletiva que "não captou o ambiente da sala" quanto à morte de al-Zarqawi, já que os ministros estavam centrados nas questões da Otan. "Mas posso dizer com toda segurança que não sentiremos falta de al-Zarqawi", afirmou.Já o presidente americano, George W. Bush, afirmou que o terrorista jordaniano "encontrou seu próprio fim" e disse que sua morte é uma vitória na "guerra contra o terrorismo".PetróleoA notícia da morte de Al-Zarqawi trouxe otimismo para o mercado de petróleo. O preço do barril de óleo cru caiu mais de US$ 1 depois que a informação veio a público."A esperança é que com a remoção do líder terrorista do Iraque, a situação no país se estabilize mais rápido, o que poderá levar a um crescimento nas reservas de petróleo", disse o analista da Purvin & Gertz, Victor Shum.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.