Líder da greve da Venezuela é detido. Paradeiro é desconhecido

O segundo principal líder da greve geral que paralisou a Venezuela por cerca de dois meses, Carlos Fernandez, foi detido dentro de um restaurante por homens armados que identificaram-se como agentes secretos da política, informou a Federacamaras, maior federação patronal do país, dqa qual Fernandez é o presidente. Albis Munoz, vice-presidente da federação, disse que não possui qualquer informação sobre o paradeiro de Fernandez, que foi detido sem apresentação de qualquer ordem de prisão. "Exigimos que o governo garanta sua segurança", disse Munoz. Fernandez vinha sendo investigado pelo governo por sua participação na greve. O presidente Hugo Chávez repetidamente acusou os líderes grevistas por tentar derrubar seu governo e disse que seriam processados.

Agencia Estado,

20 de fevereiro de 2003 | 09h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.