Líder da independência da Argélia morre aos 96 anos

A agência estatal de notícias da Argélia informou nesta quarta-feira que Ahmed Ben Bella, o primeiro presidente do país, morreu aos 96 anos. Ben Bella foi um dos fundadores da Frente de Libertação Nacional (FLN), que no final da década de 1950 começou a guerra de independência da Argélia contra a França. A Argélia ficou independente em 1962. Ben Bella governou o país entre 1963 e 1965, quando foi deposto por um golpe militar.

AE, Agência Estado

11 de abril de 2012 | 16h27

A reportagem não informa a causa da morte de Ben Bella, ícone da independência da Argélia. O líder carismático, um símbolo do pan-arabismo, bem como do movimento contra o colonialismo, foi derrubado pelo golpe militar do coronel Houari Boumedienne em 1965. Ben Bella ficou em prisão domiciliar em Argel até 1980, quando partiu para o exílio na Suíça. Ele voltou à Argélia em 1990. Ben Bella fundou um partido que obteve apenas 2% dos votos nas eleições de 1991 e em 1997 o partido foi banido pelos militares, mas ele continuou a viver em Argel, frequentemente criticando o governo. Além do atual presidente, Abdelaziz Bouteflika, Ben Bella foi o único civil a governar a Argélia independente.

Um dos seis "líderes históricos" da revolta argelina contra a França, uma sangrenta guerra colonial que deixou milhares de mortos, Ben Bella passou 23 anos da sua vida em prisões francesas e argelinas.

Nascido em uma família de muçulmanos sufis que falavam o dialeto árabe argelino e francês, em 25 de dezembro de 1916, Ben Bella aprendeu a falar francês antes do árabe padronizado, que só aprendeu em idade adulta. Na adolescência, ele se alistou no exército francês e mais tarde lutou na Itália durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Quando voltou à Argélia, condecorado por bravura em combate, Ben Bella descobriu que não teria futuro em um país que era controlado por colonos franceses e europeus. Ele organizou o Movimento pelo Triunfo das Liberdades Democráticas, o qual pleiteava igualdade para os argelinos. O movimento foi declarado ilegal em 1949 pela França e Ben Bella caiu na clandestinidade. Em abril de 1949, ele e outros ex-militares argelinos atacaram o correio da cidade de Orã, iniciando a revolta contra a França.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgéliaAhmed Ben BellaMagrebFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.