Líder da Irmandade Muçulmana é condenado à morte

O Tribunal Criminal de Giza, no Egito, sentenciou à morte o principal líder da Irmandade Muçulmana, Mohammed Badie, além de outros 13 apoiadores. Em abril, uma outra decisão judicial também havia condenado Badie e mais de 680 pessoas à morte por causa da violência no sul do Egito.

AE, Agência Estado

19 de junho de 2014 | 21h38

A Irmandade Muçulmana, que já foi o mais bem organizado movimento político do país, agora é oficialmente rotulada como uma organização terrorista. Muitos de seus principais líderes e apoiadores estão presos e enfrentam múltiplas acusações, a maioria relacionadas aos incidentes que ocorreram durante as manifestações que exigiam o retorno de Mohammed Morsi ao poder. As manifestações resultaram em centenas de mortos e milhares de presos. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitoirmandade muçulmanasentença

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.