Líder da Jihad diz ter "milhares" de atacantes

Um líder da Jihad Islâmica em Gaza disse numa entrevista a um jornal espanhol que seu grupo tem "milhares" de voluntários prontos para morrer em ataques suicidas contra Israel. "Não temos outra opção. Não temos bombas, nem veículos de combate, nem mísseis, nem aviões, nem helicópteros", afirmou o xeque Abdullah Shami, o líder político do grupo, numa entrevista publicada hoje pelo diário ABC, de Madri. "Tudo que temos são armas leves e nossos suicidas, e vamos continuar usando-os porque é a única alternativa que nos sobrou. Isto foi provado pelo fracasso dos 10 anos de negociações de paz. Vamos resistir, por todos os meios"."Nossos voluntários são centenas, milhares... Os mártires escolheram seu destino porque estão determinados a defender nossa terra, a lutar pelo futuro de nosso país, e cumprir a obrigação deles, franca e simplesmente". Shami disse que Israel pode "matar todos os palestinos que quiser? pois eles vão continuar com a luta.Ele afirmou não estar preocupado com sua vida, apesar de Israel estar assassinando chefes de grupos radicais. "Eles podem me matar. Não importa. Se eu morrer hoje, amanhã ou algum dia... terei cumprido minha obrigação", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.