Líder da Jihad Islâmica morto em tiroteio

Tropas israelenses mataram dois militantes do grupo extremista Jihad Islâmica, incluindo o líder da organização na Cisjordânia, Nidal Abu Saada. A informação foi confirmada por membros do movimento. Segundo fontes do exército israelense, as mortes aconteceram durante uma operação de prisão na cidade de Jenin. As tropas teriam cercado uma casa em uma vila na periferia da cidade quando o tiroteio começou. Funcionários do exército israelense confirmaram que Abu Saada era um dos principais alvos israelenses no norte da Cisjordânia, um importante reduto de militantes palestinos. A Jihad Islâmica foi responsável por uma série de atentados suicidas no ano passado, mesmo tendo firmado uma trégua informal com Israel. Como resultado disso, o exército tem prendido dezenas de militantes responsáveis pelos ataques.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.