Líder da oposição alerta que instabilidade pode atrasar eleições em Mianmar

A líder da oposição de Mianmar, Aung San Suu Kyi, disse aos membros seniores de seu partido que as eleições gerais deste ano podem ser adiadas se houver qualquer instabilidade no país.

Estadão Conteúdo

20 de junho de 2015 | 10h14

A vencedora do Prêmio Nobel da Paz não entrou em detalhes, mas Mianmar tem visto vários surtos de violência entre budistas e muçulmanos nos últimos anos, em meio a uma onda de sentimento nacionalista budista. Neste fim de semana, um movimento de monges budistas ultranacionalistas está realizando uma conferência que é observada atentamente.

Suu Kyi discursou na abertura de uma conferência de dois dias da Liga Nacional para a Democracia, partido que deve enfrentar um grande desafio nas eleições para o governo, atualmente apoiado pelos militares.

Em seu discurso na reunião semestral dos membros do comitê central do partido, Suu Kyi disse que a estabilidade antes da votação era "muito importante". "A eleição está se aproximando. Quero salientar que a estabilidade no país é muito importante antes das eleições", disse. "Quero avisar que as eleições podem ser adiadas usando a instabilidade como motivo."

As observações de Suu Kyi podem ser entendidas como sugerindo que o governo ou as forças armadas, que detêm o poder nos bastidores, poderiam querer tirar vantagem da desordem para se manter no poder.

A eleição está prevista para o final de outubro ou início de novembro, uma data exata ainda não foi definida.

Fonte: Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
Mianmareleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.