Líder da oposição defende antecipar eleições no Japão

O líder do Partido Democrático do Japão, Ichiro Ozawa, argumentando que o atual governo havia perdido sua capacidade de comandar o país após dois primeiros-ministros terem renunciado no período de um ano, defendeu nesta quarta-feira que as eleições gerais sejam antecipadas. Ozawa fez o apelo no Parlamento, trocando acusações com o atual premiê japonês, Taro Aso, nas prévias de uma eleição que poderia ser realizada já no próximo mês. "Se os partidos governistas perderam a capacidade de comandar o país, é racional, em uma democracia parlamentar, que entreguem o governo à oposição ou que convoquem uma eleição," afirmou Ozawa. Em declarações que também apresentaram a plataforma de governo de sua legenda, o oposicionista prometeu diminuir os impostos sobre a gasolina, reforçar a rede de seguridade social e eliminar o desperdício nos gastos do Estado, algo que, nas palavras dele, caracterizaria o Partido Liberal Democrático (LDP), que controla o país atualmente. Aso respondeu de forma veemente, acusando os democratas de serem irresponsáveis por bloquearem projetos de lei fundamentais no Parlamento, onde a oposição controla a câmara alta e consegue adiar o trâmite de projetos. "Cabe a mim decidir quando convocar eleições", afirmou, em resposta ao apelo de Ozawa por uma antecipação do pleito. Mais tarde, o premiê disse a repórteres que os eleitores estavam mais interessados não em uma eleição antecipada mas na adoção de medidas para recuperar a economia do país e em uma proposta de Orçamento adicional. "A crise financeira norte-americana surgiu depois de nossos planos sobre um Orçamento adicional," afirmou Aso. " planos sobre um Orçamento adicional," afirmou Aso. "

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.