Líder da oposição em Mianmar lutará para que seu partido retorne à legalidade

Liga Nacional pela Democracia (LND) foi dissolvida após não se apresentar às eleições no país

Efe

16 de novembro de 2010 | 10h09

BANCOC - A líder da oposição em Mianmar Aung San Suu Kyi se disse "pronta para lutar" para que seu partido, a Liga Nacional pela Democracia (LND), retorne à legalidade, após ter sido dissolvido por não se apresentar às eleições no país.

 

O advogado de Suu Kyi e porta-voz da LND, Nyan Win, anunciou nesta terça-feira que sua cliente apresentou pela manhã um recurso à Corte Suprema contra a dissolução da legenda.

 

A ativista "está disposta a lutar pela existência do partido. Manterá o processo legal até o fim", acrescentou o advogado.

 

Trata-se da segunda apelação pendente, pois os advogados de Suu Kyi, prêmio Nobel da Paz, já haviam entrado com outro processo no início de outubro questionando a ordem de dissolução da LND.

 

A primeira audiência referente a esse outro recurso será realizada na quinta-feira em Naypidaw.

 

Nyan Win assegurou que Suu Kyi não viajará à cidade para a audiência.

 

Após sua libertação no sábado, q líder da oposição começou a trabalhar nesta segunda-feira para trazer a LND de volta à legalidade e continuar promovendo as reformas políticas em Mianmar, que vive uma ditadura militar desde 1962.

 

O partido foi dissolvido em maio quando pediu o boicote e não se apresentou às eleições de 7 de novembro.

 

Suu Kyi e a LND quiseram boicotar o pleito porque consideravam que ele foi projetado para perpetuar os militares no poder, que mantiveram a líder da oposição em prisão domiciliar por sete anos e meio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.