Líder da oposição exilado na França retorna ao Camboja

O líder da oposição cambojana, Sam Rainsy, retornou nesta sexta-feira ao país após um ano de exílio em Paris. O retorno do oposicionista ocorre dias depois de o rei Norodom Sihamoni conceder o perdão a ele, a Chea Poch e a Cheam Channy, outros dois opositores acusados de difamação e de tentar derrubar o governo.O retorno de Sam Rainsy - líder do partido que tem o seu nome (PSR) - acontece depois de a Assembléia Nacional do Camboja anunciar na terça-feira que restabelecerá a imunidade parlamentar aos três membros da oposição.O governo dos Estados Unidos e de outros países, além de organizações defensoras dos direitos humanos, condenaram a perseguição política da principal oposição cambojana.O PSR conseguiu 23 cadeiras da Câmara Baixa nas eleições de julho de 2003. Rainsy é o principal crítico do primeiro-ministro cambojano, Hun Sen, do Partido do Povo do Camboja, governista, que permanece no cargo desde 1985. Hun Sen é acusado de corrupção e de planejar assassinatos para calar a oposição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.