Líder da oposição lança à Presidência da Venezuela

O líder da oposição na Venezuela, Leopoldo Lopez, lançou hoje sua campanha pela presidência do país, desafiando o presidente Hugo Chávez a aceitá-lo na corrida depois que uma corte de direitos humanos derrubou a proibição a sua candidatura. Lopez disse em discurso a milhares de venezuelanos que Chávez não deveria tentar impedi-lo de concorrer às eleições presidenciais. "Desde 2008, ele está procurando um mecanismo de me tirar do jogo político", afirmou Lopez. "Senhor presidente, I me pergunto: o senhor está com medo de mim?"

AE, Agência Estado

24 de setembro de 2011 | 17h24

A máxima autoridade anticorrupção da Venezuela havia barrado Lopez de concorrer a cargos públicos, mas a Corte Inter-Americana de Direitos Humanos, com sede na Costa Rica, ordenou no início deste mês que as autoridades venezuelanas deixem Lopez a se candidatar nas eleições.

Chávez criticou a decisão da Corte. As autoridades do governo e da justiça eleitoral da Venezuela informam que vão aguardar a decisão sobre o assunto da Suprema Corte venezuelana. "Direitos são conquistados e batalhados. Lutamos pelo nosso direitos e os conquistamos", disse Lopez para uma plateia de milhares de venezuelanos.

Ele exortou Chávez a aceitar a decisão da Corte e não "se esconder atrás" de outras instituições públicas. Lopez disse que outros ex líderes latino-americanos como Augusto Pinochet do Chile, Jorge Videla da Argentina e Alberto Fujimori do Peru também tentaram desprezar decisões da Corte. "Decida se você quer está no lado da história da democracia ou do lado da história juntamente com Pinochet, Fujimori e Videla, que também tentaram violar tais decisões", afirmou Lopez.

O ex prefeito do distrito de Caracas foi impedido de concorrer a cargo público em 2005 pelo controlador geral da Venezuela, um aliado de Chávez. Lopez foi acusado de receber doações em prol de uma organização que ele liderava entre 1998 e 2001. As doações foram feitas pela companhia petrolífera estatal da Venezuela, onde sua mãe trabalhava na época. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.