Líder da seita drusa libanesa anuncia apoio à coalisão do Hezbollah

Decisão pode prejudicar primeiro-ministro Hariri, que tenta permanecer no cargo

AE, Agência Estado

21 de janeiro de 2011 | 18h59

BEIRUTE - O político libanês Walid Jumblatt, líder da poderosa seita drusa e do Partido Socialista Progressista, manifestou nesta sexta-feira, 21, seu apoio à coalizão liderada pelo Hezbollah, o que significa um impulso para o grupo xiita conseguir indicar o novo primeiro-ministro do Líbano no Parlamento, na próxima semana. O atual primeiro-ministro, Saad Hariri, está interino no cargo, após a queda do governo. Hariri afirma que disputará novamente o cargo no Parlamento.

"Nosso partido ficará firme no apoio à Síria e à resistência", disse Jumblatt, referindo-se ao Hezbollah por seu termo mais popular, resistência. A decisão de Jumblatt, que no passado já foi um desafeto do Hezbollah, significa que as negociações entre o bloco político pró-ocidental, liderado por Hariri, e o bloco político de oposição chefiado pelo Hezbollah, poderão ser longas e tensas.

Se as negociações fracassarem, o Líbano poderá ver o ressurgimento dos protestos de rua e da violência. O Hezbollah, apoiado pela Síria e o Irã, é a força militar mais forte do Líbano. O Hezbollah e seus aliados cristãos derrubaram o governo de Hariri em 12 de janeiro, após o primeiro-ministro se recusar a denunciar o Tribunal Especial para o Líbano, da Organização das Nações Unidas, que investiga o assassinato do seu pai, Rafic Hariri. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoHezbollahpolítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.