Líder da sociedade palestina de SP pede calma

O representante da Sociedade Palestina de São Paulo, Emir Mourad, pediu hoje serenidade das comunidades judaica, muçulmana, árabe e norte-americana presentes no Brasil ao avaliarem os impactos da série de atentados acontecida hoje nos Estados Unidos. "Temos que ter calma e serenidade nesse momento. Quando houve o atentado em Oklahoma, em 1996, também tentaram culpar os palestinos e depois viram que o nosso povo não tinha qualquer relação com o acontecimento", afirmou, em entrevista por telefone à Agência Estado.Na avaliação de Mourad, os acontecimentos desta manhã são lamentáveis e mostram o sentido de urgência de mudança nas relações internacionais entre os povos. "Fatos como o de hoje podem afetar não só o conflito do Oriente Médio, mas também em todo o mundo. Daqui para a frente, os povos devem enfrentar as relações internacionais de forma mais produtiva e menos retórica", avaliou.O representante da comunidade palestina apoiou as palavras do presidente do Rabinato da Congregação Israelita Paulista, o rabino Henry Sobel, de que as comunidades judaica e muçulmana presentes no Brasil deverão permanecer amistosas nos próximos anos. "Arrisco dizer que juntos fortaleceremos essa relação e daremos passos corajosos para o auxílio na consolidação de uma paz justa e duradoura não somente no Oriente Médio, mas também em todos os países do mundo", manifestou. "Não podemos deixar que os ânimos se acirrem", complementou.Por fim, Mourad disse entender o sofrimento desse momento do povo norte-americano porque os palestinos também são vítimas de terrorismo ao longo dos últimos 50 anos. "Os acontecimentos de hoje são trágicos para todo o mundo, mas precisamos ser responsáveis por serenar os ânimos e, assim, abrirmos um diálogo em um ambiente pacífico.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.