Líder das Farc estaria com doença terminal

O chefe militar das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Jorge Briceño Suárez, conhecido como "Mono Jojoy", sofre de diabete crônica e agoniza num acampamento clandestino na selva colombiana, disse ontem o jornal El Nuevo Herald. A saúde de Mono Jojoy teria começado a se deteriorar dois anos atrás e, agora, o guerrilheiro teria entrado em "estado terminal", segundo a reportagem. Uma das fontes citadas pelo jornal, que não teve o nome identificado, diz que o líder guerrilheiro "está muito magro, não tem comida nem remédios e sua gente precisa carregá-lo quando tem de trocá-lo de acampamento".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.