Líder de grupo islâmico palestino sobrevive a ataque israelense

Um líder do grupo guerrilheiro palestino "Brigadas dos Mártires de al-Aqsa" saiu imune nesta madrugada de um ataque com foguetes do Exército israelense, que deixou três feridos, segundo fontes oficiais. O lançamento dos foguetes provocou cenas de pânico entre a população de Gaza devido ao estrondo pelo impacto dos projéteis no solo. As fontes informaram que os dois foguetes, que foram disparados desde um avião de reconhecimento sem piloto, erraram o alvo, que era o carro dos militantes que circulava pelo bairro de Sheikh Radwan. Fontes oficiais palestinas asseguraram que o objetivo dos foguetes era matar Mohammed Hijazi, comandante das "Brigadas dos Mártires de al-Aqsa", o braço armado do movimento Fatah. Os fragmentos de um dos mísseis feriram um militante e o segundo projétil, que caiu na porta de uma delegacia de Polícia, causou lesões em dois agentes das forças de segurança. Um porta-voz das "Brigadas dos Mártires de al-Aqsa" em Gaza condenou o ataque israelense e assegurou que sua organização nunca manteria silêncio perante os ataques contra os palestinos.

Agencia Estado,

27 Março 2006 | 00h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.