Líder de Hong Kong retira polêmica lei anti-subversão

O administrador político de Hong Kong, Tung Chee-hwa, anunciou ter retirado o polêmico projeto de lei anti-subversão, recebido com protestos generalizados em julho. A população temia que a China estivesse tentando minar as liberdades na antiga colônia britânica. A iniciativa foi tomada, segundo Tung, devido às preocupações dos cidadãos. Críticos afirmaram que a lei iria abalar as liberdades civis de estilo ocidental vigentes no território, devolvido à China em 1997.O projeto de lei concedia mais poderes à polícia e considerava ilegal a sedição, subversão e a traição. Moradores temiam que o controle exercido pela China continental sobre jornalistas e outros grupos civis fosse aplicado no território. O projeto perdeu apoio no Parlamento depois que 500.000 pessoas promoveram uma passeata de protesto em 1º de julho.O governo só irá introduzir uma nova versão da lei depois de consultar a população e obtiver seu apoio para um novo texto, adiantou Tong. "Tenho ouvido muitas opiniões, e o que mais preocupa hoje nossos cidadãos são as questões econômicas", explicou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.