Líder de movimento separatista entrega-se na Índia

O líder de um poderoso movimento rebelde na remota região nordeste da Índia entregou-se às autoridades nesta sexta-feira. Arabinda Rajkhowa, líder da Frente Unida de Libertação de Asom (Ulfa, na sigla em inglês) rendeu-se às autoridades indianas acompanhado do chefe militar do grupo, um guarda-costas e sete membros de sua família, segundo Ravi Gandhi, porta-voz da Força de Segurança da Fronteira.

AE-AP, Agencia Estado

04 de dezembro de 2009 | 06h02

A rendição ocorreu no posto de fronteira de Dawki, no nordeste do Estado de Meghalaya, a poucos passos de Bangladesh, de onde há muito tempo se presumia que Rajkhowa viesse operando. Gandhi informou que os militantes "circulavam perto do lado indiano" quando foram abordados pelos soldados.

A ULFA luta há duas décadas pela independência do território para o povo assamese. Pelo menos 10 mil pessoas, a maioria civis, morreram no Estado de Assam em decorrência dos combates entre as forças do governo e os rebeldes da ULFA, bem como com outro grupo separatista, a Frente Democrática Nacional de Bodoland. A ULFA sofreu uma série de baixas neste ano, com a prisão de vários de seus principais comandantes. Depois da rendição de hoje, o único líder à solta é o comandante militar Paresh Baruah. As autoridades indianas dizem que ele pode se entregar nos próximos dias. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Índiarebelderendição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.