Líder de partido da Indonésia renuncia após acusações

O líder do partido governista da Indonésia, Anas Urbaningrum, renunciou neste sábado, um dia após seu nome aparecer em um caso de corrupção. Ele foi eleito em 2010 para liderar o Partido Democrático do presidente Susilo Bambang Yudhoyono. Sua renúncia foi anunciada em uma entrevista coletiva à imprensa na sede do partido.

AE-AP, Agência Estado

23 de fevereiro de 2013 | 14h05

Na sexta-feira, uma comissão anti-corrupção acusou Urbaningrum de receber pagamentos com dinheiro desviado da obra de um complexo esportivo. A comissão não especificou a forma desse pagamento, mas a imprensa tem dito que um empreiteiro deu a Urbaningrum um carro no valor de US$ 75 mil quando ele era parlamentar.

"Eu renuncio da presidência do Partido Democrático", disse Urbaningrum, acresentando que sua decisão foi baseada no código de ética do partido.

O ex-líder, que nega qualquer desvio de conduta, pode enfrentar pelo menos quatro anos de prisão se for condenado. Os membros do partido se reunirão no domingo para escolher o nome do novo presidente. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Indonésiacorrupçãopartido

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.