Líder de partido oposicionista é morto na África do Sul

Um líder do Congresso do Povo (Cope), partido de oposição sul-africano, foi morto a tiros ontem - dia em que o país realizou sua quarta eleição democrática para presidente desde a queda do apartheid, em 1994.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

23 de abril de 2009 | 00h22

Gerlad Yona, sua mulher e filhos foram atacados por três homens armados na casa deles, localizada na província de Eastern Cape.

"O senhor Yona e sua esposa foram fuzilados", disse a agência de notícias SAPA, citando o porta-voz do COPE, Nkosifikile Gqomo.

O Cope, fundado no ano passado por uma dissidência do partido governista Congresso Nacional Africano (CNA), injetou mais emoção na eleição, cujo vencedor mais uma vez deve ser o CNA, liderado por Jacob Zuma.

Apesar da falta de urnas e cédulas em algumas partes do país, funcionários eleitorais relataram uma votação pacífica.

Tudo o que sabemos sobre:
África do Sulmortepolítico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.