Líder de protestos na Tailândia se recusa a negociar com governo

Manifestantes bloqueiam sete cruzamentos importantes da capital, Bangcoc

O Estado de S. Paulo,

27 de janeiro de 2014 | 08h07

 

BANGCOC - Os manifestantes que tentam derrubar o governo da Tailândia se recusam a negociar a liberação do acesso a ministérios e agências governamentais que estão bloqueados por eles, disse o líder dos protestos, Suthep Thaugsuban, nesta segunda-feira.

Os manifestantes bloqueiam sete cruzamentos importantes da capital, Bangcoc, e forçaram muitos ministérios e outros órgãos públicos, como o banco central, a fechar as portas, colocando funcionários para trabalhar de casa ou em instalações secundárias.   O governo pediu nesta segunda que os manifestantes negociassem formas de liberar o acesso.

"Grupos em cada área de protestos não vão negociar com autoridades do governo o retorno a várias instalações... Então não se preocupem em entrar em contato conosco", disse Suthep em comunicado transmitido pela TV. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
TAILANDIAPROTESTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.