Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Líder democrata avisa: disputa interna pode prejudicar partido

O presidente do Partido Democratados Estados Unidos, Howard Dean, avisou na sexta-feira que aacirrada disputa entre Barack Obama e Hillary Clinton pelacandidatura da legenda nas eleições presidenciais poderiadesmoralizar os democratas. Dean pediu que os dois moderassem otom dos ataques pessoais. O alerta de Dean aparece no momento em que o candidato doPartido Republicano à Presidência norte-americana, John McCain,que já venceu as prévias de sua legenda, lança seu primeiroanúncio de TV para as eleições gerais de novembro. O líder democrata disse esperar que a batalha interna entreHillary e Obama não se arraste até a convenção do partido, nofinal de agosto, algo que a pré-candidata afirmou ser possível.Dean disse esperar que o nome do candidato democrata estejadecidido até 1o de julho. "Acho que os candidatos precisam entender que eles têm umaobrigação com nosso país de se unirem. Alguém perderá essadisputa com 49,8 por cento dos votos, e essa pessoa tem deconduzir seus simpatizantes para defender o adversário naseleições presidenciais", afirmou Dean ao programa "Early Show",da CBS. A intervenção do presidente do partido ocorre no momento emque os comitês de campanha de Hillary e de Obama intensificamos ataques recíprocos, tentando mudar o perfil da disputa.Obama lidera com uma pequena vantagem, apesar de ainda estarbem longe de eleger os 2.024 delegados de que precisa paraassegurar a candidatura. Recentemente, os assessores dele ridicularizaram Hillarypor ela ter dito que havia sido atacada por franco-atiradoresquando visitou a Bósnia, em 1996, na condição de primeira-dama.Um vídeo do desembarque dela naquele país mostra que nãoaconteceu nenhum incidente do tipo. Obama, por sua vez, colocou-se na defensiva a respeito dossermões polêmicos proferidos pelo ex-pastor dele, reverendoJeremiah Wright. Depois de manter-se em silêncio a respeito daquestão, Hillary afirmou, nesta semana, que não teria Wrightcomo seu pastor. Dean afirmou que os democratas não devem perder de vistaseu objetivo principal: tirar da Casa Branca os republicanos,que controlam o governo federal há oito anos, com George W.Bush. "Precisamos ter em mente que esses ataques pessoaissignificam muitas vezes a semente da desmoralização futura",afirmou Dean. Obama, que inicia um giro de ônibus de seis dias pelaPensilvânia, Estado que vota nas prévias democratas no dia 22de abril e onde Hillary lidera as pesquisas, obteve um aliadoimportante. O apoio dado pelo governador democrata da Pensilvânia,Robert Casey, que havia prometido manter-se neutro até asprévias, pode ajudar Obama a conquistar uma parte maior doeleitorado pobre e branco desse Estado, que normalmente tende avotar na pré-candidata. O anúncio de TV de McCain intitula-se "624787", seu númerona Marinha, e o vídeo mostra-o repetindo essa cifra para umentrevistador enquanto aparece deitado em uma cama de umaprisão do Vietnã. McCain, que viveu cinco anos e meio como prisioneiro deguerra naquele país asiático, lançou o anúncio para coincidircom uma viagem que realizará na próxima semana, durante a qualvisitará cidades norte-americanas importantes em sua vida. (Reportagem adicional de David Morgan, Matthew Bigg, JeffMason e Deborah Charles)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.