Líder deposto de Honduras adia plano de voltar ao país

Zelaya diz que esperará até sábado, quando expira prazo da OEA para retorno dele ao poder.

Bruno Garcez, BBC

01 de julho de 2009 | 17h33

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, disse nesta quarta-feira que adiou seu plano de voltar ao país centro-americano até sábado.

Zelaya, que pretendia viajar para Honduras nesta quinta-feira, afirmou que irá esperar o fim do prazo dado pela Organização de Estados Americanos (OEA), que deu um ultimato de 72 horas para que o governo interino hondurenho reconduza Zelaya ao poder.

Pelos termos do documento divulgado pela OEA nesta quarta-feira, caso o governo interino hondurenho não reconduza Zelaya à Presidência, Honduras poderá ser expulsa da entidade.

A organização, sediada em Washington, realizou uma reunião de emergência na terça-feira, que contou com a presença de Zelaya. Antes de participar do encontro, o líder hondurenho discursou na sede da ONU, em Nova York.

Em Washington, Zelaya se encontrou com representantes do Departamento de Estado americano - o secretário-assistente e para Assuntos do Hemisfério Ocidental, Thomas Shannon, e Dan Restrepo, o principal assessor para a América Latina, do Conselho de Segurança Nacional.

Legitimidade

Zelaya foi afastado do poder no domingo, quando um grupo invadiu o Palácio Presidencial e obrigou o presidente a embarcar em um avião rumo à Costa Rica.

No lugar de Zelaya, os legisladores hondurenhos empossaram como presidente interino o então líder do Congresso, Roberto Micheletti.

A deposição do presidente hondurenho eleito foi condenada por todos os governos latino-americanos, pela ONU e pelos países que integram a OEA, que se recusaram a reconhecer o novo governo interino.

Diversos governos retiraram os seus embaixadores de Honduras. O Itamaraty informou que o representante brasileiro no país, que se encontra em Brasília, não retornará à capital hondurenha, Tegucigalpa.

Os Estados Unidos anunciaram nesta quarta-feira a suspensão dos exercícios militares conjuntos que pretendiam realizar com Honduras.

Apesar disso, o governo americano não retirou o seu embaixador de Tegucigalpa.

O presidente deposto Manuel Zelaya está atualmente no Panamá para a posse do presidente Ricardo Martinelli. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.