Líder diz que cristãos na Síria não vão se render

Patriarca da Igreja Ortodoxa Grega na Síria, John Yazigi, disse hoje que os cristãos no país "não vão se submeter nem se render" a extremistas. No comentário para marcar a Páscoa, ele pediu o fim de práticas de "intimidação". Ele fez referências ao extremismo que tem se tornado influente entre rebeldes, os quais atacam cristãos como parte de uma punição pelo que consideram apoio ao presidente Bashar Assad.

Agência Estado

20 de abril de 2014 | 14h41

O presidente sírio visitou neste domingo um histórico vilarejo cristão recém tomado das mãos de rebeldes pelas forças do governo, segundo informou hoje a imprensa estatal. A TV e a agência de notícias oficial informaram que Assad esteve em Maaloula inspecionando os danos recentes provocados em igrejas e mosteiros

Rebeldes tomaram Maaloula diversas vezes no último ano, A última tentativa deles foi em meados de dezembro. Tropas do governo retomaram o vilarejo na segunda-feira, forçando rebeldes a fugir para montanhas próximas.

Durante sua visita ao vilarejo, Assad prometeu defender os cristãos e proteger as igrejas, as quais fazem parte da herança cultural síria, disse. Os cristãos são cerca de 10% da população da Síria. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaguerraPáscoa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.