Líder diz que Hamas boicotará eleições palestinas

O líder do Hamas Khaled Meshaal disse nesta segunda-feira que o partido boicotará as eleições antecipadas convocadas pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas. O Hamas obteve uma forte vitória nas eleições parlamentares palestinas em janeiro, mas enfrenta um boicote internacional desde então por causa de sua recusa em renunciar à violência e reconhecer a existência de Israel.Abbas convocou as eleições no sábado, depois de não obter avanço nas negociações para a formação de um governo de coalizão envolvendo o Hamas e o Fatah, partido ao qual é ligado o presidente. "Somos contrários a qualquer medida que seja ilegal e contra a Constituição", disse Meshaal, que vive no exílio, na Síria . "Vamos nos opor a essas medidas com pressão popular pacífica, não com violência"."O que é necessário para resolver a crise palestina é um acordo nacional e não ações de indivíduos, especialmente para responder a pressões externas", concluiu.´Crítico´Simpatizantes do Fatah e do Hamas vêm se enfrentando nos territórios palestinos desde a semana passada, quando o premiê palestino, Ismail Haniyeh, foi alvo de um ataque atribuído a simpatizantes do Fatah.Também nesta segunda-feira, Abbas disse, após se reunir com o premier britânico, Tony Blair, que manterá seus planos para convocação de eleições antecipadas, apesar da violência gerada pelo seu anúncio. Ele disse que tomou a medida para resolver "o impasse"."Isto pareceu essencial para que as pessoas possam se manifestar em uma plataforma que alcance os interesses nacionais palestinos", disse ele. Blair, que se reuniu com Abbas em Ramallah, pediu que a comunidade internacional apóie a decisão do presidente palestino."Se a comunidade internacional é realmente séria sobre apoiar as pessoas que compartilham a visão de uma solução com dois Estados (palestino e israelense), que são moderados, que estão preparados para cumprir suas responsabilidades, então agora é a hora para a comunidade internacional responder", disse Blair. "Acredito que isso é crítico e urgente nas próximas semanas".Blair não tem nenhum encontro previsto com Haniyeh ou outras lideranças do Hamas. Durante a entrevista concedida após o encontro entre os dois, Abbas disse que a situação nos territórios palestinos é "grave" após uma semana de confrontos internos entre militantes do Fatah e do Hamas.O presidente palestino também pediu que a comunidade internacional intensifique seus esforços para encontrar uma solução permanente para o conflito árabe-israelense, acrescentando que está preparado para se reunir com o premier israelense, Ehud Olmert, para discutir a questão.ViolênciaO clima de tensão permanecia em alta na Faixa de Gaza nesta segunda-feira, apesar do anúncio de um cessar-fogo entre o Fatah e o Hamas no domingo.Tiroteios ainda foram ouvidos durante a madrugada, e pela manhã ocorreu um confronto perto do escritório da Presidência palestina na Cidade de Gaza. A convocação de eleições antecipadas para resolver as tensões, no sábado, foi classificada como ?um golpe? pelo Hamas, gerando novos conflitos com o Fatah.O atual governo foi eleito para um mandato até 2010, mas os Estados Unidos e a Grã-Bretanha apoiaram a convocação de Abbas por novas eleições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.