Líder do Hamas admite extra-oficialmente que Israel existe

O Hamas vê a existência de Israel como fato consumado, afirmou à Reuters na quarta-feira o líder exilado do grupo radical Khaled Meshaal, amenizando a posição da organização de se recusar a reconhecer o Estado judaico. Israel é uma "realidade" e "continuará existindo um Estado chamado Israel, isso é fato", disse Meshaal em entrevista. "O problema não é que exista uma entidade chamada Israel", afirmou ele. "O problema é que o Estado palestino não existe." Israel e governos ocidentais impuseram sanções financeiras pesadas ao governo palestino liderado pelo Hamas pela recusa do grupo em abrir mão da violência, aceitar os acordos de paz e reconhecer o Estado judaico. Meshaal disse que o Hamas vai continuar desafiando as condições impostas pelo Ocidente, recusando-se a reconhecer formalmente o Estado judaico enquanto não for atendida a reivindicação por um Estado palestino. O Hamas quer um Estado palestino que inclua a Faixa de Gaza, a Cisjordânia e Jerusalém Oriental. Exigem também o direito dos refugiados de retornarem às suas casas, de onde foram desalojados em guerras passadas, como a Guerra dos Seis Dias, em 1967.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.