Líder do Hamas critica EUA por morte de Bin Laden

O líder do Hamas, Khaled Meshaal, afirmou ontem que os EUA não tinham o direito de matar Osama bin Laden.

Lourival Sant'Anna, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2011 | 00h00

"Todo mundo sabe que o Hamas tem disputas com a Al-Qaeda, mas isso não dá aos EUA o direito de matar quem eles querem sem nenhuma consideração pela lei, e de assassinar árabes e muçulmanos, culpando-os por tudo e acusando-os de terrorismo", disse Meshaal, do seu exílio em Damasco.

O líder radical ainda surpreendeu ao defender indiretamente os protestos contra a Síria. "Queremos liberdade e democracia para o povo e alcançar um modelo entre o regime e o povo, e ajudar a fortalecer o país contra agressões externas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.