Líder do Hamas defende guerra santa contra os EUA

O líder espiritual do grupo militante Hamas, xeque Ahmed Yassin, conclamou os muçulmanos ao redor mundo para que travem uma guerra santa, ou jihad, para libertar seus países da influência dos Estados Unidos. "Filhos do Islã em todo o mundo, a jihad é uma obrigação - para estabelecer as regras de Alá sobre a Terra e libertar seus países e vocês mesmos da dominação americana e de seus aliados sionistas (...)", afirmou Yassin em uma carta publicada em comemoração ao feriado de Eid al-Adha, que lembra o Sacrifício de Abraão.No entanto, o porta-voz do Hamas, Mahmoud Zahar, disse que o grupo militante manterá as atividades restritas a Israel e aos territórios palestinos. "A luta do Hamas é contra a ocupação sionista de terras palestinas. O Hamas não pretende trocar seu campo de batalha. A resistência na palestina continuará até a libertação final de todas as terras palestinas", afirmou Zahar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.