Líder do Hamas rejeita trégua com Israel

O líder do grupo extremista islâmico Hamas afirmou nesta quarta-feira que não aceitará uma trégua com Israel e tampouco vai desarmar seus militantes. O sheik Ahmed Yassin falou a jornalistas em uma mesquita, em sua primeira aparição pública desde que Israel lançou bombas contra um prédio em que ele presidia uma reunião do Hamas em 6 de setembro. A declaração do sheik Yassin é uma resposta às propostas de trégua feitas pelo novo primeiro-ministro palestino Ahmed Korei, que prometeu propor um cessar-fogo a Israel assim que formar seu gabinete. Além disso, Korei se disse contrário ao uso generalizado de armas pelos palestinos, sugerindo uma campanha de desarmamento. ?As armas que nosso povo carrega para defender nossa terra, ninguém pode confiscar. Podemos conversar sobre isso somente depois da liberação da terra. Tomar as armas significa rendição e derrota?, disse o líder do Hamas. ?Não há espaço para negociações de trégua porque o inimigo (Israel) continua a agressão, matança e colonização?. Ele não disse nada sobre possíveis novos ataques do Hamas. Sobre o convite feito por Ahmed Korei ao Hamas para se juntar a seu gabinete, Yassin se manteve na oposição. ?Recusamos ser parte de qualquer governo sob ocupação. Se este governo quiser liberar nossas terras e lugares sacrados, daremos as boas vindas. mas se quiser nos empurrar para a rendição, vamos rejeitá-lo?, disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.