Líder do Iêmen autoriza vice a negociar transição

Em decreto, Saleh dá sinais ainda de que as eleições presidenciais podem ocorrer antes do fim do mandato, em 2013

, O Estado de S.Paulo

13 Setembro 2011 | 00h00

SANAA

Sob pressão da comunidade internacional, o presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, deu o primeiro sinal de que poderá renunciar após 33 anos no poder. O ditador designou o vice, Abed Rabbo Mansour Hadi, para que negocie com a oposição um plano de transição, segundo a agência estatal de notícias Saba.

O ditador está refugiado na Arábia Saudita desde que foi gravemente ferido num ataque contra o complexo presidencial em Sanaa, capital do Iêmen, em 3 de junho. O decreto do presidente autoriza Hadi a assinar em seu nome o acordo proposto pelos seis países do Conselho de Cooperação do Golfo. Saleh se recusou a assinar o documento anteriormente por considerá-lo "injusto" para o seu partido, o Congresso-Geral do Povo.

O decreto autoriza, ainda, o início dos preparativos para eleições presidenciais, a serem realizadas sob supervisão regional e internacional. A data do pleito não foi definida, mas se daria antes do fim do mandato atual de Saleh em 2013.

Logo após o anúncio sobre o decreto, o porta-voz da oposição iemenita declarou que a decisão de Saleh não passa de uma tentativa de permanecer no poder por mais tempo. "Se estivesse falando sério, ele mesmo assinaria o acordo ou determinaria ao vice que o fizesse imediatamente", disse Mohammed Qahtan, do Fórum Comum, que reúne seis partidos da oposição. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.