Chris Radburn/AP
Chris Radburn/AP

Ex-líder do Partido Trabalhista diz que fez o que pôde para evitar saída da UE

Ed Miliband rejeitou acusações de que seu partido não tenha se esforçado o suficiente na campanha pró-União Europeia

O Estado de S. Paulo

23 Junho 2016 | 14h13

LONDRES - O ex-líder do Partido Trabalhista do Reino Unido, Ed Miliband, rejeitou acusações de que sua agremiação política não tenha se esforçado o suficiente para promover o voto favorável à permanência do Reino Unido na União Europeia (UE) no referendo desta quinta-feira, 23.

Embora haja avaliações de que o Partido Trabalhista não se mobilizou o suficiente durante a campanha do referendo sob a liderança de Jeremy Corbyn, seu predecessor, Miliband, descreveu essa visão como "inverídica" em entrevista publicada pelo jornal italiano La Stampa nesta quinta-feira.

"Todos os líderes trabalhistas estão no mesmo lado", disse Miliband, acrescentando que "a frente do Permanecer está unida e inclui todos os chefes de sindicatos - milhões de pessoas".

Miliband, que renunciou à liderança dos trabalhistas em maio após permanecer no cargo por cinco anos - como resultado da derrota do partido nas eleições gerais do Reino Unido -, afirmou ao jornal italiano que 95% dos parlamentares do grupo declararam apoio ao "Permanecer". "Como ex-líder do partido, posso garantir que ter nove de cada dez pessoas concordando com algo é um sucesso", disse.

A votação no Reino Unido começou às 7h locais (3h em Brasília) e o resultado é esperado para depois da 0h (em Brasília). As últimas pesquisas sugerem que a maioria dos britânicos votará pela permanência na UE. /Dow Jones Newswires

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.