Líder dos muçulmanos britânicos lamenta palavras do papa

O líder do Conselho Muçulmano do ReinoUnido, Ibrahim Mogra, afirmou nesta sábado em Sydney, na Austrália, que lamenta aspolêmicas palavras do papa Bento XVI, e acrescentou que elas criaram umagrande dor na comunidade muçulmana em todo o mundo. "Suas observações causaram dor por todo o mundo entre as comunidades muçulmanas, o que é muito triste", disse Mogra, em entrevista coletiva, durante a Conferência de Imãs da Austrália. Mogra acrescentou que seu grupo sempre admirou e respeitou as mensagens de diversos papas, mas expressou seu "total desacordo" com o discurso de Bento XVI sobre o profeta Maomé. De acordo com Mogra, o papa deveria haver dito: "Vocês vêm de outros países, sua religião não é a desta parte do mundo, mas são bem-vindos e contribuem com nossas sociedades e países". No dia 12 de setembro, em Regensburg (Alemanha), o papa citou um diálogo entre o imperador bizantino Manuel II Paleólogo e um erudito persa. O imperador pedia ao persa que mostrasse algo que o mundo devesse a Maomé e respondia, ele mesmo, que só encontraria coisas "más e desumanas, como sua ordem de divulgar, usando a espada, a fé quepregava".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.