Líder druzo libanês declara apoio a rebeldes sírios

O chefe dos druzos do Líbano, Walid Jumblatt, manifestou apoio aberto nesta sexta-feira à oposição síria, na data que marcou os 35 anos do assassinato do seu pai, Kamal Jumblatt, morto durante a Guerra Civil Libanesa em 1977 supostamente a mando do governo sírio. A comunidade druza, uma minoria religiosa no Líbano e na Síria, é tida como influente. "Após 35 anos este é o dia da verdade, para mim e para os outros...vida longa a uma Síria livre", disse Walid no túmulo do pai. Após a declaração, ele exibiu uma bandeira dos revolucionários sírios, informa a agência France Presse (AFP).

AE, Agência Estado

16 de março de 2012 | 20h55

Ele também prestou homenagem aos "mártires da revolução síria" em um discurso em Baaklin, nas montanhas do Shouf, ao sudeste de Beirute. Walid assumiu o comando dos druzos libaneses após a morte do pai. Apesar da Síria ter sido acusada de maquinar a morte de seu pai, durante anos ele se alinhou aos políticos libaneses que apoiavam Damasco. Isso não impediu que acusasse Damasco tanto pela morte do seu pai quanto pela de Rafik Hariri, ex-primeiro-ministro libanês assassinado em Beirute em 2005. Apesar de uma reconciliação com o presidente sírio Bashar Assad em 2010, quando visitou Damasco (o pai de Jumblatt foi morto quando Hafez Assad, pai de Bashar, governava a Síria), o político disse: "Eu perdoo, mas não esqueço".

AS informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.