AFP PHOTO/Office of His Holiness the Dalai Lama (OHHDL)
AFP PHOTO/Office of His Holiness the Dalai Lama (OHHDL)

Líder espiritual Dalai Lama é vacinado contra a covid-19

Ao receber a primeira dose do imunizante, ele incentivou a população a ter a mesma 'coragem'

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de março de 2021 | 10h41

NOVA DÉLHI - O líder espiritual tibetano, Dalai Lama, recebeu neste sábado, 6, a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus no norte da Índia. O religioso de 85 anos pediu ao resto da população que tivesse "a coragem" de fazer o mesmo. Dalai Lama foi vacinado em um hospital na cidade de Dharamsala, no estado de Himachal Pradesh, onde o governo tibetano está exilado. 

Um vídeo divulgado pela assessoria do líder espiritual mostram o Dalai Lama sorridente enquanto recebe a dose. Ele explicou que tomou a decisão de se vacinar após ter sido aconselhado por "amigos de confiança", incluindo seu médico. O religioso acrescentou que a vacina é "muito, muito útil" para prevenir quaisquer "problemas sérios" relacionados à pandemia.

“Outros pacientes também deveriam se vacinar para ter maior benefício, é muito importante. Eu fui vacinado, então quero compartilhar que mais pessoas deveriam ter coragem de receber essa injeção”, frisou Dalai Lama, incentivando os céticos.

Vacinação na Índia 

Dalai Lama recebeu a vacina depois que a Índia deu início a uma nova fase do processo de imunização na segunda-feira passada, 1º. Após imunizar os profissionais de saúde e da linha de frente na luta contra a pandemia, o país passou a incluir cidadãos com mais de 60 anos de idade, bem como maiores de 45 anos com comorbidades. 

A nova fase começou com o primeiro-ministro, Narendra Modi, recebendo a primeira dose. Ele transmitiu uma mensagem de responsabilidade para que "todas as pessoas" que se enquadram nas condições para tomar a vacina fossem imunizadas para "libertar a Índia do coronavírus". 

Após administrar 19 milhões de doses, a Índia espera imunizar cerca de 300 milhões de pessoas no primeiro semestre com uma das duas vacinas que aprovou e produziu no país: Covishield, do laboratório sueco-britânico AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, e a Covaxin, do laboratório indiano Bharat Biotech. 

A vacinação continua enquanto o país asiático registrou 18.327 novos casos de covid-19 e 108 mortes nas últimas 24 horas, elevando o número total de infecções para 11,1 milhões e 157.656 mortes desde o início da pandemia. Esses números estão longe do recorde de quase 100 mil infectados registrados em setembro, ainda que um ligeiro aumento de casos tenha sido observado em várias regiões do país, como o oeste de Maharashtra e o sul de Kerala, o que preocupa as autoridades. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.