Líder espiritual xiita morre no atentado a mesquita no Iraque

O aiatolá Baqir al-Hakim, um dos mais respeitados clérigos xiitas, morreu nesta sexta-feira na explosão do carro-bomba em frente à Mesquita do Iman Ali, na cidade iraquiana de Najaf. O aiatolá, que era líder espiritual do Conselho Supremo para a Revolução Islâmica no Iraque, foi morto momentos depois de ter feito um sermão apelando pela unidade no país e pedindo ajuda da comunidade árabe para a reconstrução do Iraque, disseram testemunhas à Associated Press. O número não-oficial dos mortos na explosão chega a 20. Testemunhas disseram que muitos morreram e há dezenas de feridos. Pessoas tentavam retirar os falecidos e pedaços de corpos das lojas em frente ao templo - o mais sagrado do Iraque para os xiitas, que foi destruído pela explosão.Os xiitas do Iraque estão mergulhados em uma luta entre facções que atravessa gerações, mas não há evidência de que a ação possa ser atribuída à geração mais jovem de xiitas que tem um de seus mais fortes redutos em Sadr City, uma espécie de grande favela na periferia de Bagdá. O líder do Congresso Nacional Iraquiano e membro do Conselho de Governo interino escolhido pelas forças de ocupação, Ahmad Chalabi, confirmou a morte do líder religioso à TV árabe Al-Jazira. Chalabi disse ter obtido a informação do irmão de Baqir, Abdel Aziz al-Hakim, líder do braço armado do Conselho Supremo para a Revolução Islâmica no Iraque e também membro do Conselho interino.Chalabi acusou as forças americanas de não terem garantido a segurança do local e disse que a bomba foi plantada por ativistas fiéis a Saddam Hussein.Na semana passada, um bujão de gás explodiu em frente à casa de outro importante clérigo xiita, Mohamed Saeed al-Hakim, matando três de seus guardas e ferindo outras 10 pessoas também em Najaf. O religioso sofreu apenas ferimentos leves no pescoço.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.