Líder estudantil pede "intensificação" de protestos contra CPE

O presidente da principal organização de estudantes universitários da França, a Unef, Bruno Julliard, convocou nesta quinta-feira a população a "continuar a mobilização", e pediu uma "intensificação das ações" contra o Contrato de Primeiro Emprego (CPE). As declarações do líder estudantil foram feitas após seu encontro com quatro deputados da governante UMP e dois ministros que, desde a última quarta-feira, vêm recebendo os dirigentes das manifestações para dialogar sobre a polêmica medida. Julliard disse que os interlocutores do governo não mostraram "qualquer sinal" de que pretendam aceitar a derrubada do CPE. Os 12 sindicatos de trabalhadores e de estudantes que são contra o CPE endureceram na última quarta-feira o tom e exigiram o cancelamento imediato da reforma trabalhista, sob a ameaça de reforçar os protestos se não forem atendidos até dia 17. Os estudantes mobilizados contra o CPE multiplicaram nesta quinta-feira as ações e bloquearam, entre outros, os acessos às fábricas da Airbus perto de Toulouse (sul da França) e ao aeroporto parisiense de Orly, além de terem ocupado várias estações ferroviárias em Paris. O CPE, que entrou em vigor no domingo, embora as autoridades tenham pedido aos empresários que não adotem a medida, prevê um período de testes de 24 meses para jovens com menos de 26 anos e, durante esse tempo, o contratado pode ser demitido sem justificativa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.