Líder evangélico diz que Obama está distorcendo a Bíblia

Um importante líder evangélico dosEstados Unidos afirmou na terça-feira que o candidato democrataà Presidência, Barack Obama, distorceu a Bíblia e adotou umapostura "amalucada" diante da Constituição do país. Os comentários feitos pelo comunicador James Dobsonincluem-se entre os ataques de cunho religioso mais ferozeslançados até agora contra o senador de Illinois, que enfrentaráo republicano John McCain no pleito de novembro. Dobson, que já tinha dito antes que não votará em McCainporque o candidato defendeu no passado as pesquisas comcélula-tronco, afirmou na terça-feira que o republicano,senador pelo Arizona, não se empenhou o suficiente para impediro casamento entre pessoas do mesmo sexo em seu Estado. "Neste ano, tivemos muitas frustrações com ambos ospartidos políticos", disse Dobson em seu programa de rádio, queconta com uma audiência de milhões de conservadores. As críticas lançadas pelo líder religioso, um partidárioferrenho do presidente dos EUA, George W. Bush, nas eleições de2004, surgem no momento em que os democratas esperam angariarvotos entre os eleitores evangélicos, tradicionalmente ligadosaos republicanos. Obama, ao contrário de candidatos anteriores de seupartido, fala frequentemente a respeito de suas convicçõescristãs. Os democratas esperam conquistar o apoio dos evangélicosmais jovens e mais centristas, que se preocupam com aquecimentoglobal, pobreza e o aborto --um ponto que costuma mobilizar osintegrantes dessa fatia do eleitorado. Dobson, chefe da organização Foco na Família, criticouObama devido a um discurso de 2006 no qual o senador disse queas pessoas religiosas não possuem o monopólio sobre amoralidade e que deveriam elaborar seus argumentos em termosuniversais, e não religiosos. "Essa é uma interpretação amalucada da Constituição",afirmou Dobson. "O que ele está tentando dizer é o seguinte: amenos que todos concordem, não temos o direito de lutar peloque acreditamos." No mesmo discurso, Obama citou certas passagens da Bíbliaque, se interpretadas literalmente, permitiriam aos paisapedrejar seus filhos e exigiriam a dissolução do Departamentode Defesa. "Intencionalmente, ele está distorcendo a interpretaçãotradicional da Bíblia a fim de encaixá-la em sua visão demundo, em sua própria e confusa teologia", afirmou Dobson. Obama comprometeu-se com trabalhar para além das diferençasreligiosas a fim de unificar o país, afirmou um assessor dele. "Barack Obama está empenhado em atrair as pessoas de fé edefender as famílias norte-americanas. E se alguém ler porinteiro seu discurso de 2006, intitulado 'Apelo à Renovação',perceberá isso", disse em um comunicado Joshua DuBois, diretordo candidato para assuntos religiosos. Pesquisas mostram que os evangélicos se afastam lentamentedo Partido Republicano apesar do apoio de Obama ao aborto e aosdireitos dos homossexuais. Dobson liderou os esforços para tornar ilegais o aborto e ocasamento entre pessoas do mesmo sexo, além de ter ajudado areeleger Bush em 2004, atraindo o apoio dos evangélicos para oatual presidente. (Reportagem adicional de Ed Stoddard)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.