Líder golpista promete que Fiji voltará à democracia em 2009

Fiji está sob uma ditadura militar desde 5 de dezembro de 2006, quando Bainimarama chegou ao poder

Efe

17 de outubro de 2007 | 04h59

O líder golpista e atual primeiro-ministro de Fiji, Frank Bainimarama, se comprometeu nesta quarta-feira a realizar eleições democráticas na pequena nação antes de 2009. Ele anunciou o compromisso durante a reunião anual do Fórum das Ilhas do Pacífico, em Tonga, segundo um comunicado da organização do encontro. O primeiro-ministro de Tonga, Fred Sevele, a chefe do Executivo da Nova Zelândia, Helen Clark, e o ministro de Relações Exteriores australiano, Alexander Downer, confirmaram a notícia. Ainda segundo o comunicado, os ministros de Relações Exteriores dos países-membros se reunirão em janeiro de 2008 para avaliar os passos rumo à democracia do regime de Bainimarama. Fiji está sob uma ditadura militar desde 5 de dezembro de 2006, quando Bainimarama chegou ao poder após um golpe, alegando a suposta corrupção e políticas racistas do governo anterior. O Fórum de Ilhas do Pacífico é composto pela Austrália, Nova Zelândia, Fiji, Ilhas Cook, Micronésia, Kiribati, Nauru, Niue, Palau, Papua Nova Guiné, Ilhas Marshall, Samoa, Ilhas Salomão, Tonga, Tuvalu e Vanuatu.

Tudo o que sabemos sobre:
fijieleição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.