Líder guerrilheiro checheno morre na prisão

O único principal líder guerrilheiro checheno capturado pelas forças russas morreu na prisão, enquanto cumpria pena de prisão perpétua, anunciou hoje o Ministério da Justiça da Rússia. Salman Raduyev, de 35 anos, ficou conhecido pela tomada de reféns em um hospital russo em 1996, que deixou 78 mortos. Ele foi condenado no ano passado por terrorismo, assassinato e tomada de reféns.Raduyev morreu - de causas naturais, segundo o Ministério de Justiça - em uma prisão na cidade de Perm, na região dos Urais e a 1.200 quilômetros a leste de Moscou. "Acabamos de receber o relatório do patologista que realizou a autópsia. Ele morreu de hemorragia vascular, ou hemorragia interna", disse o ministro de Justiça, Yuri Kalinin, advertindo à imprensa que não fizesse especulações."Não haverá dúvida sobre as causas de sua morte. Eu já fui perguntado hoje se ele foi agredido, assassinado. Mas isso é absolutamente sem fundamento", disse Kalinin, segundo a agência russa Interfax.Raduyev, conhecido por sua beligerante retórica islâmica, suas bravatas e sua espessa barba ruiva, foi capturado em março de 2000. Sua captura foi retratada como a maior vitória de Moscou nos primeiros estágios de sua segunda campanha para derrotar os separatistas chechenos.Apesar de Raduyev não ter tido envolvimento na segunda guerra da Chechênia e não se dar muito bem com os muitos outros comandantes da guerrilha, ele se tornou um dos homens mais procurados pela Rússia depois do ataque à cidade de Kizlyar, no Daguestão, em janeiro de 1996.Genro do falecido líder separatista Dzhokhar Dudayev, Raduyev e seu grupo tomaram mais de 2 mil pessoas como reféns em um hospital em Kizlyar. Setenta e oito pessoas morreram em uma subseqüente batalha em Pervomayskaya com as forças russas.Raduyev é o segundo importante rebelde checheno a morrer sob custódia da Rússia. Em agosto, Turpal-ali Atgeriyev, cúmplice de Raduyev na tomada de reféns, morreu no hospital de uma prisão na cidade de Yekaterimburgo, perto dos Urais. Funcionários russos disseram que ele morreu de leucemia.Raduyev sobreviveu a várias tentativas de assassinato. Seu rosto, marcado por vários ataques, estava sempre coberto por espessa barba ruiva e óculos escuros. Ele foi apelidado de "Titanic" depois de dizer que seu rosto havia sido reconstruído no exterior com implantes de titânio. Em uma ocasião, quando ele foi dado como morto, reapareceu com sua feição tão alterada que os repórteres só conseguiram identificá-lo por causa da voz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.