Líder hondurenho qualifica Unasul de 'arrogante e prepotente'

Presidente de Honduras sobe tom com Brasil e países que condenaram a inclusão de Tegucigalpa em cúpula na Espanha

Jamil Chade, O Estado de S.Paulo

08 Maio 2010 | 00h00

CORRESPONDENTE / GENEBRA

O presidente de Honduras, Porfirio "Pepe" Lobo, qualificou de "arrogantes e prepotentes" os lideres sul-americanos ? incluindo o brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva ? que ameaçaram boicotar a cúpula União Europeia-América Latina, dias 17 e 18, em Madri. O Brasil, acusa Lobo, está fazendo "chantagem".

O governo espanhol havia convidado o hondurenho eleito em novembro para o evento.

Mas Lula, juntamente com os presidentes da Argentina, Cristina Kirchner, e da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou que não participaria da cúpula ao lado de Lobo.

"Não esqueçam que, quando se colocam em posições tão intransigentes ? e até certo ponto com um alto nível de arrogância ?, estão afetando o povo hondurenho. A arrogância e a prepotência de alguns levam, na realidade, a castigar um povo que não tem culpa", disse o hondurenho.

Lobo defendeu ainda a legitimidade de sua eleição. "Quero lembrar os países da Unasul que esse governo foi eleito democraticamente com uma presença maciça nas urnas", disse.

Lobo não teve participação no golpe contra o presidente Manuel Zelaya. Na ocasião, como candidato de oposição a Zelaya, condenou a destituição e os militares que lideraram o golpe.

Países sul-americanos, contudo, não reconhecem a eleição que conduziu Lobo à presidência, pois ela ocorreu sob um regime de facto.

EUA e países-chave da América Central ? incluindo Nicarágua, El Salvador, Guatemala, República Dominicana, Panamá e Costa Rica ? já normalizaram relações com Tegucigalpa.

Embaraço. O que era para ser uma plataforma para o governo espanhol promover seu país diante do mundo tornou-se uma grande dor de cabeça para Madri.

Ontem, fracassou a tentativa de acordo comercial entre a América Central e a UE. A França ainda alertou que vai impedir o lançamento de negociações do bloco com o Mercosul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.